Changeman em DVD

27 maio, 2009

changeman_vol1Mais um campeão de audiência está a venda nas lojas. Changeman foi lançado após o sucesso do box de Jaspion que já está nas lojas a um certo tempo. Para quem não se lembra,  5 guerreiros foram treinados e acabaram emanados pela misteriosa força terrena, quando os asseclas do Império Gosma estavam querendo invadir o planeta terra.

Conhecidos como o Esquadrão Relâmpago Changeman, eles usam seus poderes para destruir Bazoo e seu temido exército de invasores. Mas cá entre nós como esquecer de Change Dragon, Change Grifon, Change Pegasus, Change Mermaid e Change Fenix? Com certeza esse vai ser mais um ítem para colecionador que teve uma feliz infância vendo este programa nas tardes da rede Manchete.

Extras do DVD: Menu interativo; Seleção de cenas; Trailers; Galeria de Fotos; Formato de Tela: Fullscreen; Áudio: Dolby Digital 2.0 (Inglês e Português); Legendas: Português.


TV Digital em Brasília

16 abril, 2009

Segundo informações de participantes do HTFORUM a tv digital está sendo implantada em Brasília e os testes estão a pleno vapor. Os relatos contam que TV Justiça, Rede Globo e outros canais estão realizando transmissões testes, e quem possuir uma antena UHF e um conversor, já consegue sintonizar os tais canais em algumas horas do dia. As informações oficiais contam que a partir do dia 22 de abril, já será possivel acompanhar em tempo integral as transmissões em HD (High Definition). Atualmente a TV Globo exibe nacionalmente aproximadamente 13 horas semanais de conteúdos em alta definição, entre eles filmes, futebol, Caminho das Índias, A Grande Família, Toma Lá Dá Cá, Tudo Novo de Novo, Força Tarefa, Som Brasil, quadros do Fantástico, eventos como carnaval e Criança Esperança, e algumas edições do Globo Repórter e Domingão do Faustão. Um dos integrantes do forum postou um vídeo no youtube de cenas testes. Agora é esperar dia 22 e ver o quão impressionante é a qualidade. (PS, ao ver o video clique na opção assistir em HD, assim terá uma imagem perfeita).


Plasma LG 32PC5RV

6 abril, 2009

plasma11

Com acabamento em black piano, o modelo 32PC5RV é o único no mercado com tela de 32″. Tem apenas 8 cm de profundidade é ideal para espaços até 15 m2. Alguns podem reclamar que a resolução nativa é baixa para os padrões atuais, mas eu digo por experiência própria, isso não faz muita diferença, a não ser que você use esta tv praticamente colado no rosto. Mas se este não for o seu caso eu recomendo, pois ela tem um dos melhores custos-benefício do mercado. Se você usa um aparelho de DVD com saída video componente ou mesmo HDMI, você pode ter certeza que está fazendo um excelente negócio. Também perfeita pra PS2 e TV a cabo.

Confira os recursos deste aparelho:

2 HDMI / 2 Componente / Resolução 852X480 / Progressive Scan /  Tela 16×9, ajustável para 4×3 / Contraste de 1.200:1 / Brilho 550 cd/m2 / Ângulo de Visão 160° / SimpLink / Audio Stereo com SAP / Potência 20 W RMS / Close Caption.

Na imagem abaixo foto do filme O Senhor dos Anéis que rodava num player de DVD via cabo Video Componente.

plasma2


Das antigas… DVD Jaspion

29 março, 2009

jaspion1Ei Você, preste atenção no que eu vou dizer, Não vai chegar sozinho, Sou o guerreiro, que vai te defender!! Quem tem por volta de 30 anos vai se lembrar desta música pois ela fez parte de sua infância. Era o tema de O FANTÁSTICO JASPION. Uma série japonesa que foi campeã de audência nas tardes da Rede Manchete. Para matar a saudade a Focus Filmes está lançando o primeiro volume com com 23 episódios está a venda por R$ 149,90. Eu sinceramente tenho medo de rever, melhor ficar na lembrança, mas quem quiser se aventurar boa sorte. A lista de espisódios é a seguinte:

1. O Planeta de Edin / 2. O Triste Fim de Sakurá / 3. O Sonho do Menino Galáctico / 4. A Fúria do Pântano / 5. O Enigma da Flauta / 6. Gordon em Busca da Mãe / 7. O Demônio da Montanha / 8. O Casal Fugitivo / 9. A História de uma Árvore / 10. O Ataque do Pyrossauro / 11. Perigo em Tsukuba / 12. A Profecia / 13. A Investida dos Aliados / 14. Perigo na Lagoa dos Noivos / 15. Sonho ou Ilusão? A Imagem dourada / 16. Qual o Destino da Humanidade? / 17. O mistério do Pássaro Dourado / 18. O Inimigo Imortal / 19. Alerta no Oceano. / 20. A Última Chance / 21. O Valente Garoto Jogador / 22. O Feitiço de Titânia / 23. O Monstro do Século.


Caso Eloá, machismo e a imprensa brasileira

19 outubro, 2008

No vídeo acima, o promotor de justiça do caso Eloah afirma que a imprensa interferiu nas negociações com o sequestrador. Não podemos deixar passar de novo. Não sou da área de comunicação, sou bacharel em Direito, mas mesmo assim vou meter o bedelho.

Vamos contextualizar a situação: sabemos que saímos de uma ditadura há pouco – 20 anos não é nada em termos de História – e nossa atual Constituição (que garante liberdade de expressão) acaba de completar 20 anos de sua promulgação.  Digo isso porque qualquer tentativa de controle dos abusos cometidos pela Mídia acaba sendo tratado como censura. Reparem que o promotor é muito educado e cuidadoso ao expor seu ponto de vista, para evitar ser acusado de querer censurar ou interferir no trabalho da imprensa.

Vivemos uma situação em que “jornalistas” e “apresentadores” podem assumir para si, sem autorização de ninguém, o papel de negociadores em um sequestro e em que um promotor de justiça não se sente confortável em falar, com todas as letras, para a imprensa: vocês erraram! Porque é claro, a correta, perfeita, ética, suprema e infalível imprensa brasileira não erra. Nunca, jamais!

A imprensa pode difamar, caluniar, injuriar, transmitir informações falsas, manipuladas e incorretas, mesmo assim ela não erra nunca, e se por um acaso divino vierem a errar (imagine, que absurdo!), não admitem, não se retratam e nem pedem desculpas espontaneamente jamais, mesmo que reféns sejam feridas e mortas. É preciso fazer os profissionais da imprensa entenderem que, em um Estado Democrático, eles NÃO tem o direito a nada disso.

É preciso urgentemente debater o papel e o limites da imprensa no Brasil. Não podemos mais tolerar se faça sensacionalismo quando vidas humanas correm risco de vida ou quando homicídios foram cometidos, como na recente cobertura do caso Nardoni.

Esse vídeo abaixo demonstra a que ponto chega a … (insira palavrão aqui) da  mídia brasileira, foi produzido antes dos tiros e mostra um “jornalista” querendo negociar com o sequestrador, sem nenhum preparo ou autorização para isso:

Destaco trechos:

“Nossa preocupação é com você… Fica tranquilo, filho… A gente põe no ar o que vc quiser”. Ah, claro, duas reféns, um criminoso armado com DUAS ARMAS e UM SACO CHEIO DE BALAS, e a preocupação da polícia e da imprensa é com o bem estar do bandido? Ele até manda na imprensa, “a gente põe no ar o que você quiser”.

“A gente confia em você… Sabe que você é um rapaz de bem…” Claro que ele é um rapaz de bem, de boa índole… Sem palavras para dizer o quanto fico indignada com toda essa situação.  O machismo ainda impera. E nas reportagens sempre há um psicologo ou psiquiatra HOMEM, é claro, justificando essas ações criminosas como fruto da paixão. Só sei que: 1º mulheres raramente cometem os chamadoscrimes passionais” – que é somente um eufenismo para homicídio de mulheres que ousam dizer NÃO a seus ex-qualquer coisa. 2º Se uma  mulher, apaixonada, simplesmente pedir para reatar, nunca é tratada com condescendência, ela é logo taxada de neurótica, histérica, louca, mal amada, possessiva, ciumenta, vingativa, etc. Só que Glenn Close em Atração Fatal quase que só existe no cinema mesmo, já homens matando suas amadas existem aos milhares. Quem ama não mata!!!

Sonia Abrão: “esse caso está prestes a chegar em desfecho, ele só quer a presença da imprensa, principalmente das emissoras de televisão.” Parte da mídia continua tratando bandidos como pop stars, com direito à entrevista ao vivo e tudo. Vale tudo na guerra por alguns míseros pontinhos no famigerado ibope. Enquanto a mídia deitava e rolava em ligações para o criminoso, o promotor afirma que o telefone de contato com ele só estava ocupado.

Convidado da Sonia Abrão: “Espero que ele possa futuramente se casar com ela.” A vítima se casando com seu algoz, que, à aquela altura, apontou uma arma para a cabeça dela. E a Sonia Abrão fala: “unhum! Certo”. Certo ?! Que mulher é essa? Que jornalista é essa que não contesta o absurdo dessa afirmação?! Voltamos a 1940 quando pelo Código Penal, se a mulher, vítima de abuso sexual se casasse com o algoz, ou qualquer outro homem, a pena era extinta?

Outra prova de machismo, foi a polícia ter ordenado que Nayara voltasse ao cativeiro. Afinal, a vida das mulheres é descartável, principalmente se forem jovens e bonitas. E não me venha com essa que “a família autorizou”, a família não tinha poder nenhum para por em risco a vida da adolescente. Muito pelo contrário, a família, as autoridades e a sociedade tem é que educar e proteger esse ser em desenvolvimento e formação, que é o adolescente. Cuspiram na Constituição, no Estatuto da Criança e do Adolescente,  no Código Civil, no poder familiar (antigo pátrio poder), na inteligência, na Ética e no bom senso.

E a polícia e o (des)governador José Serra, o Vampiro Brasileiro – o comando da polícia é estadual, para quem não sabe – foram simplesmente amadores, omissos, incompetentes e irresponsáveis. E é óbvio, que o mídia serrista não vai questionar o desgovernador por essa mais esta tragédia sob a égide de seu (des)governo.

Ressalto que fiquei sabendo desses absurdos pela internet, pelo site Querido leitor, eu já boicoto a televisão e a grande mídia faz muito tempo, boicote você também! Quem sabe se eles perderem uma parte significativa de sua audiência, comecem a atuar com Ética.

Mais sobre caso Eloah aqui: Cynthia Semíramis, Escreva Lola Escreva, Mafalda Crescida, In Vino Veritas, Mary W, Querido Leitor, Vi o mundo do jornalista Luiz Carlos Azenha e Portal Imprensa.

Lila


Maisa

29 setembro, 2008

Então, minha querida meia dúzia de leitores, gostaria muito de escrever algo inédito hoje mas a verdade é que ainda estou muito cansada da prova p/ o concurso do STJ ontem. Parece até que fiz 3 horas seguidas de musculação. Então hoje vou deixar um texto p/ se pensar: um texto da jornalista Bia Abramo da Folha, sobre a menina Maisa do SBT.

Maisa e a vida diante das câmeras
ELA SÓ tem seis anos e estréia em um programa de entrevistas junto com Silvio Santos. Ela só tem seis anos e é uma espécie de celebridade no YouTube, onde diversos vídeos com cenas da menina estão disponíveis. Ela só tem seis anos e já passou metade da vida em frente às câmeras. Ela só tem seis anos e uma de suas tarefas é fazer frente à audiência do programa da Xuxa…
É natural, naturalíssimo, que, com tudo isso no horizonte, a pequena Maisa, apresentadora do “Sábado Animado”, comporte-se com um extremo de excitação. E é isso mesmo, esse estado alterado, que produz suas gracinhas e suas gafes. A menina é desenvolta e graciosa, não há dúvida, mas é também dona de uma espontaneidade fabricada e de um exibicionismo desconcertante.
A combinação é explosiva, bem na medida de um certo gosto televisivo pelo excepcional que beira o grotesco. Não é à toa que Maisa tem sido um dos personagens que freqüentam com uma certa constância o “Top 5” do “CQC”. Também não é por acaso que, recentemente, os pais e o SBT tentaram barrar o assédio da imprensa, vetando entrevistas com a menina.
Sua performance na televisão, apresentando desenhos animados e conduzindo game shows com os telespectadores, provoca sentimentos muito ambíguos.
Crianças como protagonistas na mídia sempre o fizeram. O talento precoce tem um lado encantador, mas, ao mesmo tempo, repulsivo -sobretudo, quando, em vez de talento, trata-se simplesmente de um jeito, da macaqueação desavisada de gestos e maneiras adultas. Aquilo que parece adorável, segundo algumas sensibilidades, pode provocar também o sarcasmo em outras. E reagir de forma sarcástica diante de uma criança é algo muito, muito brutal.
Não por que as crianças sejam “inocentes”, como se acreditava antes da psicanálise e ainda resiste como clichê. (Clichê, aliás, que a TV adora.) Mas por que elas ainda não têm o aparelhamento emocional para lidar com os sinais trocados do escárnio e da ironia, muito menos quando são dirigidos a elas.
Agora, ela vai dividir o palco com ninguém menos do que um dos personagens televisivos mais hábeis em zombar dos outros parecendo que está sendo simpático. A atração consistirá numa espécie de talk-show, cujo assunto, sempre será a menina e sua desinibição.
Silvio Santos fará perguntas dos telespectadores a Maisa e se pode imaginar muito bem qual será o propósito dessas questões. Ela, ainda, só tem seis anos.

Bia Abramo
…………………………………………………………………………………………………………………………..

Essa menina tem jornada de trabalho maior que de muitos adultos, já vi sua imagem mostrada por horas a fio na tv, em exibições todos os dias da semana, de domingo a domingo. Até acho que nem todos os programas exibidos são ao vivo, mas quantas horas por dia ela precisa trabalhar, pra deixar tudo isso gravado? E a impressão que dá é que tudo ao vivo. Quando ela estuda? Quando ela brinca? Quando ela interage com amiguinhos da idade dela?
Vejam esse vídeo no You Tube:
Maisa
Tudo bem, ela é lindinha, tudo bem, ela é talentosa. Mas vocês também repararam na carinha de cansada dela no vídeo? E ela ainda é apenas uma criança!

Lila


Lost: Something nice back home [S04E10]

8 maio, 2008

Lost, Lost, Lost. Esse é nosso grito de guerra toda quinta e sexta feira. A ansiedade começa na quinta, quando o Paul Torrent nos envia o episódio, que assistimos legendado na sexta.
Discordo de quem disse, que este foi um episódio para mulherzinha e que foi o pior da temporada, discordo também de quem diz que o Eggtown foi o pior.

Para mim, o pior foi o da Juliet, The other woman, flashbacks desnecessários sobre Juliet, Ben e Goodwin. Só se salvou mesmo, como sempre, a atuação do Ben, quando mostra a Juliet o corpo de seu amante. Nem a descoberta da estação Tempest me empolgou, fora o clichezão de o Faraday só conseguir neutralizar o gás no último segundo, AFF.
Vamos às minhas considerações sobre o Something nice back home:

1) Foi um episódio sobre relacionamentos, Juliet, Jack e Kate no melhor estilo do poema de Drummond: Juliet que ama Jack, Jack que ama Kate, Kate que ama Jack e Saywer (espertaaaa hehe), ainda tivemos Sun e Jin, o amor platônico de Charlotte e Faraday e até a volta do nosso casal codjuvante favorito Rose e Bernard.

2) Rose levantou uma bola muita boa quando diz a Bernard: “Por que o Jack ficou doente?” Afinal, como ela mesmo disse, ali as pessoas não ficam doentes, na Ilha, elas se curam. Bem, como não leio spoilers, só posso supor que a Ilha seria um organismo vivo, que teria, por assim dizer uma espécie de “consciência”, de “vontade própria”. Porque, se ali as pessoas se curam, qual seria a origem do tumor do Ben? A ilha quis que ele ficasse doente, foi uma punição por algo errado que fez, que estava fazendo naquele momento?

3) E a Charlotte, hein? Fala coreano, quem diria. Há aí algum indício de relação com o Mr. Paik, o pai da Sun? Espero que sim, seria muito legal se o mafioso coreano tivesse alguma ligação com o Widmore e essa história toda da Dharma.

4) Após o flashfuture do Ben, em que soubemos que se passava em outubro de 2005, também no flashfoward de Jack temos pistas sobre a época no futuro, pela notícia no jornal, tudo indica que se trata de agosto de 2007. Como cheguei a essa data? Acessem o blog parceiro “Teorias Lost” e comprovem.

5) Sim, já sabíamos que Jack, em seus relacionamentos amorosos é ciumento, possessivo e inseguro, O que não sabíamos, como bem disse o Carlos Alexandre do blog Lost in Lost no seu “Podcast 61”. O que não sabíamos era que Kate e Jack estariam, aparentemente, pouco tempo depois de Eggtown, quase casados. Eu, sinceramente, me supreendi, achei que só veria isso no final da série.

Infelizmente, a felicidade dura pouco, pois o alcoolismo, a desconfiança e o ciúme possessivo de Jack acabam por levar a relação ao fim. Inclusive, é mais um bom motivo para que Kate não queira, no final da 3ª temporada, voltar com Jack para a Ilha, além da condicional, de não poder sair do estado e consequentemente dos EUA, por 10 anos e correr o risco de perder o Aaron, a reação dela é do tipo “não vou a lugar nenhum com você”, coisa de gente magoada.

6) Que ar sombrio na visita de Jack a Hurley. O Dude está muito deprimido e se recusa a tomar remédios. Agora sabemos que ele mantém contato direto com Charlie e diz a Jack que Charlie teria um recado; “você não deve criá-lo.” É, Jack, não adianta mentir, nem tentar se enganar, você sabe e nós também sabemos que Charlie estava falando de Aaron. Essa questão leva-nos ao papel de pai para Jack, sabemos que ele teve muitos conflitos com o pai desde criança, como mostrado em um flashback da 1ª temporada.

Parece-me que tinham visões de vida, valores e princípios diferentes. A questão do alcoolismo, da dependência química, não tenho base científica para afirmar isso, mas parece-me que tem um fator genético muito forte, já vi vários filhos de alcóolatras, que apesar da doença dos pais e mesmo a princípio repudiando o álcool, acabam também se enveredando nesse ou em outros vícios, infelizmente.

7) Acho muito engraçado o modo como alguns fãs de Lost reagem aos episódios por eles considerados fracos. No final da 3ª temporada, todo muito ficou espantado com aquele Jack barburo, alcóolatra, suicida e todos queriam saber como ele chegou a esse ponto. Mas parece que para esses fãs, cada novo mistério apaga o anterior. Ora, pessoas, queríamos respostas e elas estão aparecendo, uma por uma.

Imaginem um cara, um homem da ciência. que tem fortes conflitos com o pai, perfeccionista, extramentemente controlador, inseguro em relacionamentos, receoso se saberia constituir uma família e cuidar bem dela, afinal já teve um casamento fracassado, inseguro se seria um bom pai, tendo de conviver com tudo isso e ainda ter, periodicamente, visões do pai morto, como se vivo estivesse. É de pirar qualquer um.

8] Acho que o fato de o Jack considerar-se um homem da ciência o impede de procurar um terapeuta ou um psiquiatra. Afinal, ele é um médico, um excelente cirurgião, ele não quer ser considerado um louco, um cara que sofre alucinações, e a sua falta de fé o impede de aceitar qualquer fenômeno extra-físico, para ele é impossível que esteja vendo o espírito do pai, que este o esteja querendo dar algum recado.

9) O pai de Jack aparece para este no hospital. E após essa visão, assutado e nervoso, Jack pede para que a amiga médica lhe receite um remédio. Aí, Jack chega em casa, e vê a Kate desligando rapidamente o telefone, numa atitude meio suspeita. Por falar em Kate, ótima a observação de Camila Saccomori do “Blog Fora de Série” do Jornal Zero Hora, que pose de grávida é essa hein, Kate?
Ou será só pegadinha dos produtores de Lost?

Voltando a Jack, o medo de ser traído o apavora, ele faz a maior besteira que podia fazer, toma logo de uma vez 2 comprimidos do sedativo junto com cerveja. Começa aí a dependência química do Jack, e é também o início de sua atitude suicida que culmina no Jack barbudo, desesperado e autodestrutivo que vimos em”Through the Looking Glass.”.

10) A aparição do Christian Shepard no hospital foi sinistra. Porém apesar do detector de fumaça apitando, não acredito ter sido fruto de uma incursão do monstro de fumaça, não acho que ele atue fora da Ilha. Mas posso estar enganada. Até porque o Christian foi visto na cabana do Jacob, sentado na cadeira de balanço, o que foi muito, muito sinistro. No mínimo ele e o Jacob são amigões de longa data 🙂 e não descarto a hipótese do Christian ser o próprio Jacob, vai saber.

Aliás o fantasma do Christian parece ser uma manifestação bem física, um materialização, vide o modo como ele segura o neto, o bebê Aaron, ao final do episódio, essa foi a cena que mais me arrepiei e acredito que a maioria dos espectadores também.
Enfim, essa é minha análise sobre o E10. Aguardando ansiosamente pelo próximo, Cabin Fever.

Namastê,

Lila