A Rede Social

3 janeiro, 2011

Ficha Técnica

A Rede Social / The Social Network, EUA, 2010.
Direção: David Fincher
Roteiro: Aaron Sorkin
Elenco: Jesse Eisenberg, Adrew Garfield, Armie Hammer, Justin Timberlake, Max Minghella, Rashida Jones.

O Facebook é um fenômeno. Milhões de pessoas em todo mundo aderiram a esta rede social e com isso colocaram o nome de Mark Zuckemberg na lista de bilionários. O que pouca gente sabe é a trajetória pra que ele alcançasse tal feito. Pelo menos não sabia, pois o filme a Rede Social com certeza fez com a mascara dele viesse a cair, fez com que milhões de pessoas em todo mundo viessem a saber como se faz pra chegar onde ele chegou, e com o filme temos certeza não foi sendo uma boa pessoa.

Com 10 minutos de filme eu já tinha chamado ele de babaca umas 3 vezes, especialmente a forma que ele trata a namorada. E estava já incomodado com a forma com que os diálogos eram expostos. Tudo de uma forma tão frenética que faz a série Gilmore Girls, famosa pela rapidez de seus diálogos, parecer coisa de criança.

Todos os cortes de câmera fizeram com que o filme se tornasse ágil mesmo boa parte dele se passando em salas de conciliação. Recursos de flashback foram usados a exaustão para desenvolver a narrativa.

As atuações estão bem convincentes e a forma como Mark Zuckenberg foi interpretado, com traços de DDA e um certo autismo me chamaram atenção. Sinceramente, não sei se ele é assim mas deu uma força ao personagem, livrando-o do estereótipo de nerd loser, tão recorrente em Hollywood.

A participação de Timberlake como Sean Parker foi no mínimo curiosa, pois ele deu um tom de mau-caratismo ao criador doNapster, tornando-o um grande sacana, irresponsável e bon vivant. O filme dar a entender que algumas coisas ocorreram porque ele influencionou negativamente o protagonista.

A atuação dos gêmeos deve ser destacada pois foi feita por apenas um ator, algo que me impressionou pois eles têm personalidades diametralmente opostas e os efeitos especiais imperceptíveis. A relação entre Zuckemberg e Eduardo, cofundador do Facebbok, foi mostrada como um misto de diversas emoções e sentimentos como amizade, inveja, mágoa e vergonha.

Sentimentos muito humanos que resultaram numa história que realmente merecia virar filme, e na direção competentíssima de David Fincher logrou sucesso.

Nota 8.

Texto: Faber
Revisão: Lila

Harry Potter e as Relíquias da Morte: “Tempos difíceis estão por vir, Harry.”

22 novembro, 2010

Tempos difíceis estão por vir, Harry.” Era assim que começavam vários trailers da série de filmes Harry Potter.

Durante seis filmes, sempre ouvíamos o mantra que tempos difíceis estavam por vir, e finalmente eles chegaram, e de uma forma que os fãs dos filmes não poderiam imaginar.

No quinto filme perdemos Sirius Black, padrinho e única pessoa que Harry Potter podia chamar de família. E no sexto filme tem a morte do diretor de Hogwarts  Alvo Dumbledore, o mentor de Harry.

Tempos sombrios é sem dúvida o mote do Harry Potter e as Relíquias da Morte.

Nesse Relíquias da Morte parte 1 os protagonistas vão ter de passar por várias provações, vão ter que viajar por toda a Inglaterra atrás de respostas e pistas que podem levar a perigos ainda maiores.

A direção de fotografia e as locações são perfeitas, pois junto com a atuação dos atores – principalmente do trio de protagonistas que amadureceu muito nesses 10 anos de filmagens – nos transmite a sensação de medo, insegurança e o desespero que o domínio de Voldemort impõe a todos do universo Harry Potter.

*Claro que este filme não poderia ter o encanto dos primeiros nem ter alívios cômicos pois o aumento da tensão é um chamariz para o capítulo final da saga.

Hogwarts não é mais um lugar seguro, agora está sendo comandado a mão de ferro pelo Snape, portanto permanecer lá se tornou inviável. Ficar junto com a família e amigos só traria mais sofrimento pois as perdas são sempre grandes, basta lembrar que no último filme Dumbledore morreu na frente de Harry.  Outros personagens virão a perecer, e isso é um ponto a favor da escritora e do diretor que não tem medo de causar comoção.

Para os fãs que cresceram com a série o amadurecimento é normal e com certeza está sendo esperado ansiosamente há anos por todos. Para quem se encantou pelo primeiro filme e viu naquelas crianças a entrada para um mundo novo agora se depara com o desenrolar por vezes trágico e por que não dizer sombrio.

Voldemort e seus aceclas implantam um governo de terror no qual qualquer que não tenha “sangue puro”, isto é que não seja descendente direto de genitores bruxos, pode ser catalogado, interrogado, torturado, preso ou morto pelo Ministério da Magia ou pelos comensais da morte.

Ver Voldemore se dar bem e acabar com a harmonia entre mundo dos bruxos e dos trouxas é uma realidade. Não por acaso muitas das atitudes lembram as do exército nazista, onde interrogar, torturar e matar eram uma constante.

A única esperança recai sobre as costas de um menino que por vezes é tratado como um messias, por outras é uma lenda.

E no fim ele será apenas mais um a desafiar as forças do Lord das Trevas. O final muitos já sabem, no entanto a trajetória de dificuldades e de redenção é o único caminho para um fim, que o que indica esta primeira parte, deve ser épico.

No quesito adaptação foi quase perfeito, talvez a melhor até agora, seguindo a risca o livro, a se lamentar, na minha opinião (Faber), apenas a insistência do diretor de colocar uma tensão amorosa entre Harry e Hermione, que não existe e que por vezes engana de forma eficaz aqueles que não acompanharam os livros e estão vendo apenas os filmes.

Eu, Lila, concordo que foi a melhor adaptação de livro da série da J.K. Rowling até agora. E acho que o diretor não força uma aproximação romântica entre Potter e Hermione mas sim mostra relação deles do ponto de vista dos ciúmes do Rony.

*Eu já acho que o filme tem sim seus alívios cômicos como no início do filme em que vemos os 7 Harry Potter’s ou quando a esposa de Cattermole beija Rony ou ainda quando Harry diz para Rony: “continue falando para ela da bola de luz que entrou em seu coração.”

No sábado após assistir ao filme disse que daria para ele nota 10. Mas vou mudar a nota para 9,5 porque faltou explicar a azaração Tabu que torna qualquer pessoa que pronuncie o nome do Voldemort rastreável. No livro, foi assim que Harry, Rony e Hermione foram encontrados pelos comensais da morte na lanchonete em Londres e na floresta por Greyback e os raptores.

Essa parte 1 nos deixa na pilha para assistir a continuação. Mas sim, faltou um teaser da parte 2 no final do filme. Acho que a maioria das pessoas que foram ao cinemas é fã, senão dos livros, pelo menos da saga de filmes.

Porém, os produtores poderiam ter aguçado ainda mais o nosso desejo de “quero mais” se houvesse uma cena pós créditos, um teaser ou mesmo um trailer da parte 2 ao final do filme. O que não tira o mérito da excelente adaptação mas seria a cereja do bolo ou a cobertura do sundae 🙂

Obs.: Não somos cineastas nem críticos de cinema. Somos apenas dois aficcionados por filmes e cultura pop.

Nota do Faber para o filme: 9,0.

Nota da Lila para o filme: 9,5.


HOMEM DE FERRO 2

4 junho, 2010

Vou confessar que para mim este era o filme mais aguardado do ano, eu simplesmente estava tendo de me segurar pra não me decepcionar quando o visse, tamanha a expectativa.  O sucesso do primeiro filme alavancou as expectativas em relação a continuação. O problema é que continuações sempre têm um lado perverso, elas tentam ser maiores, mais impactantes e explosivas que o filme de origem e acabam derrapando no excesso de efeitos especiais (nova saga guerra nas estrelas) , personagens (homem aranha 3), ou até mesmo em roteiros malucos (Wolverine origens). No entanto esta conseguiu dosar tudo na medida e fazer um filme que se não perfeito, tem várias qualidades. Eles mantiveram o tom playboy ao extremo do Tony Stark, ele continua não se levando a sério, isso é um ponto pra continuação. Os efeitos especiais continuam, mas eles são parte do filme, ele colabora com o enredo, mas não é o foco principal. Atores coadjuvantes estão no local certo, não tentam brilhar mais que o herói neste quesito destaque para Scarlett Johansson que encantou pela beleza e  surpreendeu pela sua performance nas lutas. Os vilões estão na medida, desde o russo maluco vivido por Mickey Rourke, até o milionário Justin Hammer vivido por Sam Rockwell está bem encaixado. Ato falho foi a substituição de  Terrence Howard por Don Cheadle em ‘Homem de Ferro 2’ o personagem perdeu a intimidade que tinha com Tony Stark, me pareceu apenas um conhecido e não o melhor amigo como ficou demonstrado no filme predecessor. De resto o filme é muito bom, a se destacar pela trilha sonora que é rock and roll puro. Fato curioso é a cena final após os créditos, onde mais um passo é dado em direção ao filme dos Vingadores. No geral o filme não supera o primeiro como era de se previr, mas leva uma nota 8,5  com facilidade. Abraço a todos.


Wolverine também conhecido como Carcaju

5 maio, 2009

wolverine_01

carcaju

Isso mesmo fiéis leitores do Universo, para matar a curiosidade de muitas pessoas descobrimos no Google a verdadeira cara do Wolverine, também conhecido como carcaju. Wolverine é o nome de um animal, que em português se chama Carcaju ou Glutão. Aposto que a maioria de vocês já ouviu falar no glutão. Segundo a Wikipéidia: O carcaju ou glutão (Gulo gulo) é um mamífero da família dos Mustelidae, ordem Carnivora. Vive no Hemisfério Norte, nas zonas frias da Sibéria, Escandinávia, Alasca, Canadá e em algumas partes da Europa.O carcaju é um animal tímido em relação ao homem, mas extremamente corajoso e agressivo nas relações com outros animais selvagens. Os carcajus atacam animais presos em armadilhas e são conhecidos casos em que roubaram presas de matilhas (lobos) e até de ursos polares. Aliás essa coragem e poder de luta o tornou o personagem preferido por muitos fãs de quadrinhos. Só a timidez perante os humanos é que realmente não combina com nosso destemido Logan, mais conhecido como Wolverine.


Terminator 4: Salvation – Novo pôster

20 abril, 2009

Só pra lembrar a quarta parte da conhecida franquia transporta a batalha de homens contra máquina para 2018, em plena guerra capaz de destruir todo o planeta. Christian Bale é John Connor, o homem predestinado a liderar a resistência humana contra o supercomputador Skynet e seu exército de exterminadores. Com a repentina chegada do misterioso Marcus Wright (Worthington), Connor tem que decidir se o viajante do tempo é a solução ou o problema.

cartaz1


Ironia cinematográfica

22 março, 2009

A cerca de 3 mese eu comprei o DVD Nascido em 4 de julho, nas Lojas Americanas, chegando em casa coloquei no player, eis que ele não funcionou, claro fiquei frustrado pois, em outro caso parecido não trocaram. Infelizmente fiquei no prejuíso, tentei copiar o mesmo pro HD, mas não funcionou, pois estava realmente danificado. Neste caso só me restou procurar o filme na internet e baixar. Esta semana finalmente achei em um site, e comecei o download, em menos de 2 dias eu terminei e finalmente consegui ver, detalhe o filme que eu baixei é exatamente igual, inclusive com os extras do que não funcionou. Por ironia do destino eu tive de baixar um filme que eu tinha comprado.


Eu quero… Ver (X-men Origins: Wolverine)

26 fevereiro, 2009

Esse ano promete, há algum tempo postei aqui o trailler de Star Trek, que conta a origem de Capitão Kirk, Spock e Cia… Agora é a vez de outro grande filme que promete ser um dos “arrasa quarteirão” do ano, X-men Origins: Wolverine. Isso mesmo, o filme do invocado canadense promete bater recordes, e agradar a fãs e aos não iniciados no universo Marvel. Veja o trailler e diga se estou, ou não, com a razão. TE VEJO NO FUTURO.

Faber.