Séries que eu vejo

20 junho, 2008

Sempre fui um viciado em séries, desde a minha infância quando era viciado em Profissão Perigo, Duro na Queda, Super Vicky, Águia de fogo entre outras muitas que passavam na sessão aventura na Globo. Naquela época como disse era refém da boa vontade da emissora platinada, que diga-se de passagem não conhecia o significado de temporada, pois passava os episódios ao bel prazer e fora da sequência. Com o tempo fui crescendo e acompanhando novas séries, como Barrados no Baile, Melrouse, Arquivo X, ER, Oz, até que chegamos nos dias atuais, quando acompanho muitas séries e devo convessar que a maioria via AVI – Channel. As minhas favoritas atualmente chegaram ao final da temporada, e agora esperar por 2009 pra ver que vai acontecer. Mas você deve estar se perguntando o que esse nerd maluco assiste no momento, calma, chego lá. Vamos a lista: Lost, House, 24 horas, Sara Connors Cronicles, CSI, Cold Case, How I Met your mother, Heroes, Smallville, Californication, Two and half man. Ufa, é muita coisa não acham? Claro que não vejo ao mesmo tempo, mas mesmo assim são horas e horas de pura diversão nerd com minha namorada. O que esperar do futuro não sei, mas pra próxima estação eu cravo minhas fichas em FRINGE,  dos criadores da consagrada e porque não dizer venerada Lost. Aguardem logo que eu ver o episódio piloto faço aqui minhas considerações.

Faber


Stan Winston, morre o mestre dos efeitos visuais

16 junho, 2008

Faleceu na noite deste domingo, em Los Angeles, o especialista em efeitos especiais e maquiagem Stan Winston. Normalmente vemos os grandes filmes e esquecemos de profissionais como ele que nos fazem acreditar em dinossauros, em exterminadores e seres fantásticos. Winston foi responsável pelos efeitos visuais de Parque dos Dinossauros, Exterminador do futuro 2 e Aliens pelos quais ganhou Oscar. Mas ele também tem em seu currículo, Edward Mãos de Tesoura, Batman o Retorno, Predador, Inteligência Artificial. Seu último trabalho foi a espetacular armadura do Homem de Ferro, grande sucesso dos cinemas de 2008.


Por ela me apaixonei

11 junho, 2008


Eu não vou me apaixonar

11 junho, 2008

Por Giselle Fleury*

Eu não vou me apaixonar outra vez. Ja cansei desta vida de sofrimento intercalada por momentos inesquecíveis e infindáveis promessas de outono. A estação mais cinza do ano é a única que me entende depois da dor.

Eu não vou de apaixonar de novo, ele é complicado. Mas e daí? Eu também sou. E vivo a ilusão de que posso contornar qualquer situação, que vou mudar o coração dos outros, que vou arrancar sorrisos a todo custo, que mereço um mínimo de confiança e crédito. Ele me dá crédito, ele confia em mim, mas sente que pode me magoar por não corresponder da forma que acha mais correta. E me deixa, de novo, na estaca zero.

Eu não vou me apaixonar de novo, ele é precavido. Sabe que é mais fácil tentar e quebrar a cara do que consertar um estrago no coração de quem ama. Mas quem ama não se importa com os estragos futuros até que eles aconteçam, não acredita que a dor será companheira próxima e sempre vê uma saída para o impossível. Ele tem os pés no chão e me faz sofrer por antecipação, sem me dar a chance nem de quebrar a cara, nem de vislumbrar o futuro, porque já o mostra bem eloquente e coerente.

Eu não vou me apaixonar de novo, agora é diferente. Ele mais que um amigo, é base, é suporte, é auxílio, é apoio. E se isso tudo se perder, eu me perco também, perco o rumo, a direção, e vou acabar cupando-o por dar chance ao impossível, quando foi ele quem disse “não”. Agora eu sou mais racional, tenho medo de sentir dor outa vez. Só esqueço este medo quando estou ao seu lado, esqueço que pode ser ruim para ambos. Esqueço… e finjo viver bem enquanto a lembrança de que tudo nunca saiu do plano das idéias me assola e devasta o coração, assim como a raiva de nunca ter aberto a boca me consome o estômago.

Eu não vou me apaixonar de novo, então contei para ele. E descrevi o passado, clareei o presente e divaguei sobre o futuro. Amendrontei quem tem medo de ousar, encostei na parede quem nunca se proprõe a dar o primeiro passo, quem sabia de tudo desde o princípio, mas tinha medo de errar. Coloquei em pratos rasos e limpos tudo que sujava minha mente, tudo que amargurava meu coração e molhava de lágrimas meu travesseiro. Expliquei como contornar, como não fazia mais o mesmo efeito e entendi porque havia me apaixonado.

Ele entende meus motivos, ele sabe como eu sinto, ele se sente como eu, mas falta o que, em mim, já sobrou: a chama. E se a minha apagou ali para acender em outro lugar, foi porque le sempre teve esse medo estúpido e sensato de não querer me ver sofrer. E nós entendemos como adultos civilizados que somos. E voltamos às nossas vidas rotineiras, pensando se aquele beijo tivesse acontecido…

……………………………………………………………………………………………………………………….
* Texto recebido por e-mail, espero que a autoria esteja correta.


Iphone 3G

9 junho, 2008

Finalmente as previsões se concretizaram, a apple lançou a esperarada versão 3G do iphone, o que dará um impulso ainda maior as vendas do sonho de consumo de muito nerd por aí. Outra boa notícia foi a confirmação que o aparelho vai chegar em mais de 70 países e o Brasil está entre eles, o que é muito importante pois ficaremos livres dos aparelhos mal desbloqueados, das falsificações e quem sabe dos preços estremamente absurdos que encontramos no mercado informal. Além da atualização de software e a adição de GPS o visual recebeu algumas mudanças ficando ainda mais elegante inclusive uma possibilidade de nova cor, o branco. A nota negativa é a manutenção da câmera de 2 megapixels, muito abaixo dos concorrentes que já possuem com pelo menos 5 megapixels. E as novidades não param, lá nos EUA a versão de 8 gigas vai passar a custar 199 dólares, será porque estas coisas não acontecem no Brasil?


Câmara analisa hoje o projeto de lei sobre a TV paga

4 junho, 2008

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática se reúne às 10 horas e pode votar o substitutivo do deputado Jorge Bittar (PT-RJ) sobre a nova regulamentação do setor de TV por assinatura.

De acordo com a proposta de Bittar, os canais de TV paga poderão ser distribuídos por qualquer empresa, inclusive de telecomunicações, nacional ou estrangeira. A produção e a programação também não terão restrição ao capital externo. Os pacotes de canais, no entanto, só poderão ser comercializados por empresas com o controle nacional de capital.

O substitutivo do relator inclui na regulamentação a exigência de cotas para a produção nacional na TV paga. Tanto em um único canal como em um pacote de canais, pelo menos 10% de tudo que é transmitido terá que ser ocupado pelo conteúdo audiovisual nacional. Em comissão geral ocorrida no dia 23 de abril na Câmara, representantes de empresas de TV por assinatura afirmaram que o serviço ficará mais caro em razão dessas cotas. Já as telefônicas argumentaram que o aumento da concorrência no setor diminuirá os preços.

Em 30 de abril, Bittar reformulou seu substitutivo. Entre outras alterações, o sistema de cotas deverá ser aplicado apenas a canais direcionados a brasileiros, por “não se justificar a exigência de veiculação de conteúdo nacional em canais internacionais não legendados para o português e cujo áudio seja expresso em língua diversa do português”.

Fonte: Agência Câmara


Chapéu, chicote e muita nostalgia

1 junho, 2008

Seguindo minha meta de ver os blockbusters da estação ontem para começar minhas férias vi Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, talvez o filme que tenha tido mais rumores nos ultimos 15 anos. Pois o roteiro tinha de agradar Spielberg, George Lucas e Harrison Ford, só por este detalhe fico surpreso que o tenha saído realmente e sinceramente valeu a pena pois o filme é diversão pura do início ao fim, principalmente para aqueles que como eu nunca tiveram a oportunidade de ver Indiana no cinema.

Minha história com este personagem começou vendo o segundo filme num domingo qualquer, em temperatura máxima, depois em tela quente eu vi os caçadores da arca perdida, e por fim no colégio lá pelos meus 14 anos num auditório com vários outros alunos vimos a última cruzada em um vídeo cassete e tv 20 polegadas. Pode ter tido alguém que não tenha gostado deste novo filme, mas por mim foi muito bom, as perseguições inverossímeis, as armadilhas complexas, os artefatos misteriosos, a música tema que é de arrepiar e principalmente o jeito politicamente incorreto do arqueólogo.

Outro fator interessante, foram as citações aos filmes anteriores, como mostrar a arca perdida, citar as pedras sankara e uma cena comovente mostrando fotos do pai e do melhor amigo de Indiana que foram protagonistas do terceiro filme e dizendo que tinham morrido. Eu não vou dar spoiler e contar sobre a história do filme, pois deixo pra vocês conferirem pessoalmente, pra mim este é um filme que merece ser visto com som digital e tela gigante. Abraços Faber.

Nota 8