Lost: Something nice back home [S04E10]

Lost, Lost, Lost. Esse é nosso grito de guerra toda quinta e sexta feira. A ansiedade começa na quinta, quando o Paul Torrent nos envia o episódio, que assistimos legendado na sexta.
Discordo de quem disse, que este foi um episódio para mulherzinha e que foi o pior da temporada, discordo também de quem diz que o Eggtown foi o pior.

Para mim, o pior foi o da Juliet, The other woman, flashbacks desnecessários sobre Juliet, Ben e Goodwin. Só se salvou mesmo, como sempre, a atuação do Ben, quando mostra a Juliet o corpo de seu amante. Nem a descoberta da estação Tempest me empolgou, fora o clichezão de o Faraday só conseguir neutralizar o gás no último segundo, AFF.
Vamos às minhas considerações sobre o Something nice back home:

1) Foi um episódio sobre relacionamentos, Juliet, Jack e Kate no melhor estilo do poema de Drummond: Juliet que ama Jack, Jack que ama Kate, Kate que ama Jack e Saywer (espertaaaa hehe), ainda tivemos Sun e Jin, o amor platônico de Charlotte e Faraday e até a volta do nosso casal codjuvante favorito Rose e Bernard.

2) Rose levantou uma bola muita boa quando diz a Bernard: “Por que o Jack ficou doente?” Afinal, como ela mesmo disse, ali as pessoas não ficam doentes, na Ilha, elas se curam. Bem, como não leio spoilers, só posso supor que a Ilha seria um organismo vivo, que teria, por assim dizer uma espécie de “consciência”, de “vontade própria”. Porque, se ali as pessoas se curam, qual seria a origem do tumor do Ben? A ilha quis que ele ficasse doente, foi uma punição por algo errado que fez, que estava fazendo naquele momento?

3) E a Charlotte, hein? Fala coreano, quem diria. Há aí algum indício de relação com o Mr. Paik, o pai da Sun? Espero que sim, seria muito legal se o mafioso coreano tivesse alguma ligação com o Widmore e essa história toda da Dharma.

4) Após o flashfuture do Ben, em que soubemos que se passava em outubro de 2005, também no flashfoward de Jack temos pistas sobre a época no futuro, pela notícia no jornal, tudo indica que se trata de agosto de 2007. Como cheguei a essa data? Acessem o blog parceiro “Teorias Lost” e comprovem.

5) Sim, já sabíamos que Jack, em seus relacionamentos amorosos é ciumento, possessivo e inseguro, O que não sabíamos, como bem disse o Carlos Alexandre do blog Lost in Lost no seu “Podcast 61”. O que não sabíamos era que Kate e Jack estariam, aparentemente, pouco tempo depois de Eggtown, quase casados. Eu, sinceramente, me supreendi, achei que só veria isso no final da série.

Infelizmente, a felicidade dura pouco, pois o alcoolismo, a desconfiança e o ciúme possessivo de Jack acabam por levar a relação ao fim. Inclusive, é mais um bom motivo para que Kate não queira, no final da 3ª temporada, voltar com Jack para a Ilha, além da condicional, de não poder sair do estado e consequentemente dos EUA, por 10 anos e correr o risco de perder o Aaron, a reação dela é do tipo “não vou a lugar nenhum com você”, coisa de gente magoada.

6) Que ar sombrio na visita de Jack a Hurley. O Dude está muito deprimido e se recusa a tomar remédios. Agora sabemos que ele mantém contato direto com Charlie e diz a Jack que Charlie teria um recado; “você não deve criá-lo.” É, Jack, não adianta mentir, nem tentar se enganar, você sabe e nós também sabemos que Charlie estava falando de Aaron. Essa questão leva-nos ao papel de pai para Jack, sabemos que ele teve muitos conflitos com o pai desde criança, como mostrado em um flashback da 1ª temporada.

Parece-me que tinham visões de vida, valores e princípios diferentes. A questão do alcoolismo, da dependência química, não tenho base científica para afirmar isso, mas parece-me que tem um fator genético muito forte, já vi vários filhos de alcóolatras, que apesar da doença dos pais e mesmo a princípio repudiando o álcool, acabam também se enveredando nesse ou em outros vícios, infelizmente.

7) Acho muito engraçado o modo como alguns fãs de Lost reagem aos episódios por eles considerados fracos. No final da 3ª temporada, todo muito ficou espantado com aquele Jack barburo, alcóolatra, suicida e todos queriam saber como ele chegou a esse ponto. Mas parece que para esses fãs, cada novo mistério apaga o anterior. Ora, pessoas, queríamos respostas e elas estão aparecendo, uma por uma.

Imaginem um cara, um homem da ciência. que tem fortes conflitos com o pai, perfeccionista, extramentemente controlador, inseguro em relacionamentos, receoso se saberia constituir uma família e cuidar bem dela, afinal já teve um casamento fracassado, inseguro se seria um bom pai, tendo de conviver com tudo isso e ainda ter, periodicamente, visões do pai morto, como se vivo estivesse. É de pirar qualquer um.

8] Acho que o fato de o Jack considerar-se um homem da ciência o impede de procurar um terapeuta ou um psiquiatra. Afinal, ele é um médico, um excelente cirurgião, ele não quer ser considerado um louco, um cara que sofre alucinações, e a sua falta de fé o impede de aceitar qualquer fenômeno extra-físico, para ele é impossível que esteja vendo o espírito do pai, que este o esteja querendo dar algum recado.

9) O pai de Jack aparece para este no hospital. E após essa visão, assutado e nervoso, Jack pede para que a amiga médica lhe receite um remédio. Aí, Jack chega em casa, e vê a Kate desligando rapidamente o telefone, numa atitude meio suspeita. Por falar em Kate, ótima a observação de Camila Saccomori do “Blog Fora de Série” do Jornal Zero Hora, que pose de grávida é essa hein, Kate?
Ou será só pegadinha dos produtores de Lost?

Voltando a Jack, o medo de ser traído o apavora, ele faz a maior besteira que podia fazer, toma logo de uma vez 2 comprimidos do sedativo junto com cerveja. Começa aí a dependência química do Jack, e é também o início de sua atitude suicida que culmina no Jack barbudo, desesperado e autodestrutivo que vimos em”Through the Looking Glass.”.

10) A aparição do Christian Shepard no hospital foi sinistra. Porém apesar do detector de fumaça apitando, não acredito ter sido fruto de uma incursão do monstro de fumaça, não acho que ele atue fora da Ilha. Mas posso estar enganada. Até porque o Christian foi visto na cabana do Jacob, sentado na cadeira de balanço, o que foi muito, muito sinistro. No mínimo ele e o Jacob são amigões de longa data 🙂 e não descarto a hipótese do Christian ser o próprio Jacob, vai saber.

Aliás o fantasma do Christian parece ser uma manifestação bem física, um materialização, vide o modo como ele segura o neto, o bebê Aaron, ao final do episódio, essa foi a cena que mais me arrepiei e acredito que a maioria dos espectadores também.
Enfim, essa é minha análise sobre o E10. Aguardando ansiosamente pelo próximo, Cabin Fever.

Namastê,

Lila

Anúncios

2 Responses to Lost: Something nice back home [S04E10]

  1. Elaine disse:

    Adorei esse episódio e o 09 tbém, acho que eles estão novamente acertando a fórmula que foi tanto sucesso no começo…
    Todas as informações, quando juntas, causam grande impacto, como a doença do Ben, depois do Jack e o comentário da Rose…outra coisa muito estranha foi o Dr. que aparece morto na ilha e vivo em seguida… Acho que há um lapso temporal enorme ali, mas isso já cenho achando faz tempo.
    Muitas perguntas estão sendo respondidas, algumas sendo geradas, mas está alucinante, com certeza… Não vejo a hora de saber como eles vão fechar a temporada…

  2. Fabricio Martins disse:

    Realmente, Lost está cada vez mais eletrizante, quem acompanha via AVI channel já está sem unhas hehehehe. Eu mesmo num aguento esperar até a próxima semana, da vontade de viajar no tempo só pra saber como vai ficar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: